9 de julho de 2009

O Novo Espiritismo- Enganador


A revista "Secular" Época publicou há poucas semanas uma reportagem de capa intitulada “O Novo Espiritismo” (03/07/2006, edição 424, p. 66-74). A revista afirma que esse novo espiritismo no Brasil tem o rosto da top model Raica Oliveira, namorada do craque Ronaldo. É um espiritismo que se distancia dos copos que se movimentam sozinhos sobre mesas brancas, das operações com canivete e sem anestesia do médium Zé Arigó e as sessões de exorcismo coletivo. Segundo a revista, esse novo espiritismo procura apresentar um lado menos místico e mais racional.


O espiritismo vem crescendo, principalmente entre os jovens de classe média. No site de relacionamentos Orkut já existem 366 comunidades sobre “espiritismo” e outras 808 quando se busca a palavra-chave “espírita”. O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) calcula que o espiritismo tem 20 milhões de adeptos no Brasil, sem contar os que o professam como segunda religião. Além de Raica Oliveira, a revista cita outras celebridades que aderiram ao espiritismo: a atriz Cleo Pires, que herdou a fé de seu pai, Fábio Júnior e o tenista Gustavo Kuerten.

Como explicar a adesão da classe média brasileira ao espiritismo? De acordo com o artigo, há três razões principais.:

A primeira razão é que a doutrina espírita se baseia num conjunto de idéias muito bem sistematizado, sendo, portanto, passível de aceitação racional. O artigo informa que quando Allan Kardec codificou a doutrina espírita, deu-lhe um revestimento científico. Essa roupagem racional garante o sucesso do espiritismo no mundo moderno. É o que afirma o presidente da Federação Espírita Brasileira, Nelson Masotti: “Razão e fé não estão em pólos opostos. Cremos em algo lógico, não místico. Seria difícil seguir uma religião que não estimula a discussão e o conhecimento”.


A segunda razão é a flexibilidade da doutrina espírita. Os novos adeptos desse novo espiritismo são avessos aos fundamentalismos, hierarquias, exigências na atitude, na forma de se vestir ou cobrança financeira. Em outras palavras, os adeptos não querem se envolver com uma fé que exija compromissos, e entre eles, o financeiro.

A terceira e principal razão para o sucesso do espiritismo no Brasil é a forma como a sua doutrina trata a questão da morte. Segundo Allan Kardec, é possível, após a morte, voltar a este mundo muitas vezes para se redimir dos pecados cometidos nas existências passadas. Trata-se da reencarnar-se. Morrer e voltar num outro corpo. Tal crença não é exclusiva do espiritismo. O budismo e o hinduísmo também apregoam algo semelhante. Pretendo analisar, de forma sucinta, essas razões, não necessariamente na mesma ordem em que aparecem na revista.
O espirítismo é a maior doutrina do cão que eu já vi, e uma das maiores obras e armadilha do diabo, e sobre isso trataremos no próximo estudo. No entanto tem levado milhares de pessoas para o inferno todos os anos! Abra seus olhos, e não deixe de avisar pessoas que foram cegadas por mais essa astúta cilada de satanás.

Vejamos o que a palavra de Deus diz, referência de Davi quando seu filho morreu em virtude do pecado cometido por ele com Betseba:

Eu irei até ela, mas ela não voltará para mim” (2 Samuel 12.23).

Fiquem na Paz de Cristo, e estejamos incubidos de levar a verdade aquelas pessoas que estão cegadas por esta "Seita" e que agora ta virando moda.
Victor Silva

2 comentários:

Viík disse...

Eu e meu colega, que é espírita, conversamos bastante (para falar a verdade, debatemos) sobre o espiritismo, eu tentando provar que é algo totalmente maluco e contra o que diz a Bíblia. Mas só em oração pela pessoa que ela pode ser liberta, pois o espiritismo é contraditório a palavra de Deus em todos os sentidos

Mauro Lúcio disse...

Olá e primeiro boa tarde.
Sustento um blog com meus pensamentos e me pergunto, se realmente, o que você prega aqui, teria lugar no mundo justo. Digo isso, pois, embora não concorde com certas "religiões", ainda sim, respeito quem as segue, afinal, Deus é um só e somente a ele devemos prestar contas. pastores, Padres e etc. são apenas meros intermediários, que devem instruir seus rebanhos e não serem considerados "santos" milagreiros. Acredito que o respeito às diversidades culturais, deva ser algo ensinado a nossos filhos e Os que amamos e não apregoar indistintamente essa ojeriza desarrazoada. Digo, pois em primeiro lugar, de que me adianta crer correto e justo, se a primeira coisa que faço é julgar as outras pessoas? Elas tem o direto da livre escolha e quando interfiro nesse direito sou tão ruim quanto aqueles que acuso. Assinarei com o endereço do meu blog, e apesar de estar parado há algum tempo retomo as postagens em breve. Fique em paz colega.